O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (e-Social) passará por mudanças nos próximos meses. Segundo informações divulgadas pelo Governo Federal, a meta é simplificar e desburocratizar o sistema, com o objetivo de gerar novos empregos e estimular a economia do país.

O anuncio das mudanças foi feito pelos secretários do Ministério da Economia, Rogério Marinho da Previdência e Trabalho, e Carlos da Costa da Produtividade, Emprego e Competitividade. Além do relator da Medida Provisória (MP) da Liberdade Econômica no Congresso, deputado Jerônimo Goergen (PP-RS).

Ao todo, foram 119 sugestões de mudanças no programa apresentadas ao governo. Das quais 84% foram atendidas, com isso, o e-Social passará por uma grande mudança no processo.

Entre as alterações incluem a redução do número de dados a serem informados pelos empregadores. Em 2020, o governo pretende substituir o e-Social para um sistema mais simples. “Vamos permitir que o Estado e o empregador se unam para gerar crescimento”, explicou o secretário Rogério Marinho.

As mudanças no sistema serão gradativas, mas até a conclusão do primeiro semestre de 2020, já devam estar todas em funcionamento.